Foram confirmadas na quinta-feira (4) as empresas vencedoras da licitação para executar o projeto de revitalização da orla de Matinhos. O Consórcio Sambaqui, formado pelas empresas Castilho, Tucumann, Jan de Nul, Codrasa, Dang, Serra da Prata e Soebe, foi oficializado como o vencedor do processo, e terá, a partir da assinatura da ordem de serviço, um prazo de 32 meses para concluir os trabalhos.

O consórcio ofereceu o menor preço para executar a obra: R$ 314,9 milhões, com um desconto de aproximadamente 17,5% em relação ao preço orçado pelo Instituto Água e Terra (IAT), que chegou a R$ 381,7 milhões.

O projeto de revitalização da Orla de Matinhos é alvo de denúncias do Ministério Público do Paraná (MPPR), que propôs ação civil pública e ação penal. O MPPR apontou irregularidades e falta de transparência nos processos de licenciamento ambiental e pediu a suspensão da licença, bem como do processo licitatório.

Detalhes do consórcio

Pela proposta enviada ao Instituto Água e Terra (IAT), às empresas Castilho, Tucumann, Codrasa, Dang, Serra da Prata e Soebe caberá os trabalhos de execução das estruturas marítimas semirrígidas e da construção dos canais de macrodrenagem e das redes de microdrenagem. Além disso, elas terão a responsabilidade de execução da revitalização urbanística da orla marítima e da pavimentação e recuperação das vias.

Já a empresa Jan de Nul será a única responsável pelo serviço de dragagem e bombeamento de material até a praia, além de também cuidar da supervisão e da coordenação do espalhamento da areia da praia. A remuneração para este serviço, segundo a proposta do consórcio, ainda será definida em um documento específico a ser elaborado pelas partes.

Quem são as empresas?

Castilho

A Castilho Engenharia e Empreendimentos S/A é uma empresa sediada em Curitiba e especializada em construções pesadas e serviços de engenharia. Fundada em 1958, a Castilho foi a escolhida como líder do consórcio. Em seu site oficial, a empresa contabiliza mais de 250 obras em todo o Brasil e também no Peru.

Entre seus clientes de obras anteriores, a Castilho apresenta nomes como Petrobrás, DNIT e Eletrobras/Eletrosul, além das prefeituras de Curitiba e Capanema. CCR Rodonorte e Cart-Concessionária Rio Teresópolis também figuram entre os clientes.

Tucumann

A Tucumann Engenharia e Empreendimentos Ltda. foi fundada em 1990 e é sediada em Curitiba. Especializada em obras de urbanização e construção marítima, a empresa cita em seu site oficial o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) como um de seus principais clientes.

A empresa também cita parceria de sucesso com a concessionária Caminhos do Paraná, e os trabalhos executados no Lote 4 do Anel de Integração do Paraná – que corresponde aos trechos das BRs entre Balsa Nova e Guarapuava, Araucária e Lapa, Ponta Grossa e Prudentópolis e da PR entre Porto Amazonas e Lapa.

Jan de Nul

A Jan de Nul do Brasil Dragagem Ltda. é o braço brasileiro de uma empresa sediada na Bélgica cujas origens remontam ao ano de 1849. Especializada em serviços de dragagem, a Jan de Nul ostenta em seu site oficial mais de 140 projetos espalhados por todo o mundo. Um deles é a ilha artificial Palm Island II, onde foi construído um condomínio de luxo em Dubai – na obra foram movimentados mais de 200 milhões de metros cúbicos de areia.

Cinco desses projetos estão na América do Sul, nenhum deles no Brasil: a dragagem do canal de acesso ao porto de Guayaquil, no Equador; três obras na Argentina: a dragagem nos portos de Ushuaia e Quequén e a construção de um gasoduto em Veja Pleyade; e o Projeto Taurus, em Montevidéu, de construção de um novo terminal no porto da cidade – na ocasião, a empresa afirma ter movimentado 850 mil metros cúbicos de areia em menos de três meses.

Codrasa

Das empresas participantes do Consórcio Sambaqui, a Codrasa Construtora S/A é a que tem menos informações disponíveis publicamente. Em sua ficha de Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, não há outros dados disponíveis além do ano de fundação, 2005, e do endereço da sede, no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

O site oficial traz apenas o nome da empresa, e o e-mail de contato de seu responsável junto ao consórcio está registrado em um domínio de outra construtora, cujo site traz os mesmos dados fiscais da Codrasa. Não há também dados adicionais de contratos, de linhas de fornecimento e de outras licitaçõesdisputadas pela empresa no site oficial de compras do governo federal. A empresa não respondeu à tentativa de contato da reportagem.

Dang

A Dang Construtora de Obras Ltda. é outra empresa do consórcio sediada em Curitiba. Fundada em 1999, a Dang também é especializada em obras marítimas e de contenção. Entre as obras em execução em destaque em seu site oficial estão a elaboração do projeto executivo e a execução das obras de ampliação do aterro da faixa de pista de pouso e decolagem do aeroporto de Foz do Iguaçu.

Entre as obras já realizadas estão a contenção dos rios Bacacheri Mirim e a drenagem, perfilamento e implantação de galerias na bacia do Rio Pilarzinho, em Curitiba. Ainda há registros de serviços de revestimento de canal do Rio Jaguaribe, em Salvador; e a construção de barramento no Córrego Tanque Velho, em Ferraz de Vanconcelos, em São Paulo.

Serra da Prata

A Construtora Serra da Prata Ltda. é sediada em Paranaguá e foi fundada em 1990. Entre as especialidades da empresa está a construção de pontes e terraplenagem. Em seu site, a Serra da Prata destaca obras executadas em Santa Catarina, Bahia, Alagoas e Maranhão, além de ações nos portos de Antonina e Paranaguá.

Soebe

A Soebe Construção e Pavimentação S.A. é uma empresa paulista fundada em 1973 e sediada no bairro do Jaraguá, em São Paulo. Em seu site, a Soabe informa que oferece os serviços de terraplenagem, pavimentação, drenagem, saneamento, canalização, pontes e viadutos e obras civis.

Em suas redes sociais, a empresa destaca a atuação em obras como o recape em um trecho da Marginal Pinheiros, uma das vias mais movimentadas da capital paulista. Há também a citação à participação em um consórcio com o Departamento de Águas e Energia Elétrica do estado de São Paulo (DAEE), que prevê serviços de operação de reservatórios de retenção de cheias, manutenção e limpeza nas bacias hidrográficas do alto do Tamanduateí, Pirajuçara e Ribeirão Vermelho.

FONTE: https://tribunapr.uol.com.br/noticias/parana/orla-de-matinhos-tera-projeto-feito-por-sete-empresas-veja-as-vencedoras-da-licitacao/