Das 545 vagas abertas para a construção da Maltaria Campos Gerais, em Ponta Grossa, mais de 400 delas já foram preenchidas. A informação foi confirmada pela Agência do Trabalhador de Ponta Grossa, que realizou a oferta das vagas e a captação dos candidatos. A construtora já fez a seleção desses candidatos, resultando no preenchimento de cerca de 80% das vagas ofertadas. Entre os trabalhadores que procuraram a Agência em busca dessas oportunidades, também cerca de 80% foram recrutados pela empresa. Agora, dentro das próximas semanas, novas oportunidades serão ofertadas na cidade. O início das obras está previsto para o próximo mês.

De acordo com Nilton Bahls, diretor da Agência do Trabalhador de Ponta Grossa, há o avanço nos trâmites para a contratação desses trabalhadores. “Eles já foram selecionados e estão indo para a fase final para a contratação, que são a realização dos exames e a entrega dos documentos necessários, para que, nas primeiras semanas de março, eles já estejam realizando as atividades”, explicou o representante da secretaria municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional. Entre as vagas ofertadas estiveram serventes de obras, pedreiro, carpinteiro, armador, montador de andaimes, mestre de obras e motorista de ônibus.

Contudo, essas oportunidades são apenas para o arrancar das obras, e dentro das próximas semanas, novas vagas serão disponibilizadas, explica Bahls. “No começo de março teremos mais vagas, conforme o início e o avançar das obras. Então serão anunciadas, para as próximas semanas, novas vagas da construtora, a qual está responsável por construir a maltaria em Ponta Grossa”, ressaltou.

O objetivo é que as obras da maltaria sejam realizadas em cerca de 18 meses, com previsão de inauguração, da primeira fase de investimento, para setembro de 2023, para a inauguração no aniversário de 200 anos da cidade de Ponta Grossa, no dia 15 de setembro de 2023. Neste primeiro momento, o investimento estimado é superior a R$ 1 bilhão, podendo chegar nos R$ 3 bilhões, com a execução da segunda fase das obras, quando poderá se tornar a maior maltaria da América Latina.

Projeto é do intercooperativismo

A indústria de processamento de malte de cevada será construída às margens da PR-151, ao lado da Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) da Unium, nas proximidades da divisa com o município de Carambeí. O projeto é o fruto da intercooperação das cooperativas Agrária (Guarapuava), Bom Jesus (Lapa), Capal (Arapoti), Castrolanda (Castro), Coopagrícola (Ponta Grossa) e a Frísia (Carambeí). Na primeira etapa, a previsão é que a planta produza 240 toneladas de malte ao ano, cerca de 15% do volume do consumo atual do país.

 

FONTE: https://d.arede.info/ponta-grossa/412501/maltaria-recruta-mais-de-400-trabalhadores