Pablo Mórbis, CEO do Grupo Cataratas: ‘consciência ambiental cresceu na pandemia’

O DIÁRIO conversou com Pablo Mórbis, CEO (Chief Executive Officer) e diretor presidente do Grupo Cataratas, holding com capital nacional e internacional que cuida de gestão e operação em parques e atrações turísticas no Brasil.

REDAÇÃO DO DIÁRIO

Pablo é engenheiro civil com larga experiência em implantação de parques e planos de manejo ambiental. Dois de seus últimos trabalhos foi a implantação do Econoronha, o Parque Nacional Marinho em Fernando de Noronha e o BioParque, o antigo RioZoo, no Rio de Janeiro, inaugurado no último mês de março.

Nesta entrevista ao DT, Pablo Morbis fala dos desafios (e da satisfação) que é atuar na gestão de seis parques naturais – Parque Nacional do Iguaçu, Econoronha, Paineiras Corcovado, AquaRio, Marco das 3 Fronteiras e o BioParque do Rio – e manter os princípios do grupo que vão além de oferecer entretenimento ao brasileiro e aos turistas internacionais, mas colaborar na formação de uma consciência, promovendo a educação ambiental e o turismo responsável. Abaixo a entrevista, concedida ao editor do DT, jornalista Paulo Atzingen.

DIÁRIO – o BioParque é o seu o mais novo empreendimento, fale aos leitores do DT sobre essa nova concessão.

Ganhamos a concessão do antigo RioZoo em 2018 e o inauguramos o Bioparque este ano com um novo conceito. Aquele modelo de zoológico ficou para trás. Deixa de ser um lugar de exposição de animais e passou a ser um centro de conservação da biodiversidade e bem estar, obedecendo a um tripé:  Educação, Pesquisa e Conservação.

Diversas espécies estão ali – seja para melhoria do banco genético – seja para proteger algumas em processo de extinção. Temos por exemplo um projeto de proteção aos guarás. Queremos reintroduzir o guará na Bahia da Guanabara – que não é visto lá desde 1900. Temos vários projetos acontecendo. Isso tudo faz parte desse novo conceito.

O BioParque do Rio tem a proposta de reconectar o público com a natureza (Crédito: divulgação)

DIÁRIO – Vocês têm um perfil bastante acentuado na proteção dos ecossistemas e no processo educativo dos visitantes. Isto os coloca em destaque no âmbito do empreendedorismo inclusivo e  socioambiental…

Sim, o Grupo Cataratas nasceu em 1998 a partir da concessão do parque Nacional das Cataratas em Iguaçu. A partir desse ponto o grupo foi naturalmente crescendo e percebendo a necessidade em trabalhar a sustentabilidade – o que para nós foi sempre uma palavra de ordem -, antes mesmo dela virar moda, principalmente porque estamos dentro de um parque nacional. E isto foi se incorporando ao DNA do grupo. Foram aparecendo diversos projetos. Não foi do dia para a noite as questões relacionadas à sustentabilidade. É importante destacar o ano de 2014, com a implantação do nosso projeto AquaRio. Começamos a aprender muito com esse modelo, já que entendemos que estava tudo integrado e que um aquário poderia ser a ferramenta para auxiliar na formação de uma consciência ambiental na população, nos visitantes, nos turistas. Recebemos em 2019 (antes da pandemia), 5 milhões de pessoas em todos os parques. Nosso objetivo é impactar positivamente essa mensagem de sensibilidade, conservação e preservação de espécies e ambientes. A educação é a principal forma de fazer isso.

DIÁRIO – Estamos vivendo não só uma crise sanitária mundial, mas antes dela, uma crise ambiental. Qual é o papel do Grupo Cataratas nesse contexto? Como é o relacionamento do grupo com o governo, por exemplo?

Somos, por meio do BioParque, uma das instituições mundiais que participa da “Década da Restauração dos Ecossistemas”, período entre os anos de 2021 e 2030 anunciado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) como determinante para restaurar a biodiversidade. Em termos nacionais somos concessionários do ICMBio – o órgão do governo que nos chancela a concessão federal de seis parques. A relação é muito boa. Já que a concessão dos parques faz parte da política do governo e o turismo de natureza foi colocado como política do estado. Não só estadual, como federal também, uma agenda bastante positiva.

O turismo tem uma capacidade regenerativa muito grande, tudo vai retornar. Temos um potencial forte para nos prepararmos agora para colher frutos mais tarde. Essa crise sanitária criou uma oportunidade de vermos o nosso potencial. Temos um gigante nas mãos (se referindo ao Brasil) e entendo que o momento atual é muito favorável.

O BioParque tem um projeto de proteção aos guarás. “Queremos reintroduzir o guará na Bahia da Guanabara”, afirma Pablo (Crédito: Juan Carvalho)

DIÁRIO – Pablo, como vê a formação do brasileiro para essas questões de meio-ambiente, ecologia, sustentabilidade?

O ambiente, a natureza, a sustentabilidade são temas cada vez mais recorrentes na grande mídia e a consciência ecológica está mais latente que há duas décadas atrás, assim como os desafios. O papel dos parques nacionais é muito grande nessa conscientização ecológica, tanto coletiva como individual. E quanto mais essa agenda de abertura dos parques se amplia, mais a consciência se amplia também. O ano de 2020 poderá causar um atraso na educação formal, mas acho que a educação ambiental ganhou mais força ainda. As pessoas começaram a entender os efeitos nocivos do homem à natureza. A pandemia ajudou a entender o grau de dependência que o homem tem do meio ambiente.

DIÁRIO – Como o senhor vê a retomada definitiva do Turismo Brasileiro após a imunização total por meio da vacina?

Vamos ter dois momentos. O primeiro a gente vai ter um aquecimento do mercado interno, com o turismo de natureza e as viagens internacionais vão ficar para um segundo momento. O Brasil tem potencial enorme para se alavancar por duas questões:  Primeiro porque o nossa balança comercial do turismo é negativa. Mais brasileiros sempre viajaram para fora do que estrangeiros vieram para cá.

Nós podemos nos posicionar e nos colocar como um grande player de turismo de natureza. Preparando a casa. Nunca tivemos uma oportunidade como essa. Mesmo o ambiente de negócio ainda não ser o ideal, o brasileiro é um grande empreendedor.

FONTE: https://diariodoturismo.com.br/pablo-morbis-ceo-do-grupo-cataratas-consciencia-ambiental-cresceu-na-pandemia/


A Caminhada Noturna do Parque Vila Velha está de volta

A Caminha Noturna do Parque Vila Velha está de volta! O passeio, um dos mais procurados pelos visitantes do parque, retorna a partir do próximo dia 24 de julho com Lua Cheia no céu. Os ingressos para o primeiro passeio de 2021 já podem ser comprados pelo site www.parquevilavelha.com.br a partir desta segunda-feira (12). Os passeios serão realizados aos sábados de Lua Nova ou Lua Cheia, com recepção dos participantes a partir das 17h30 para poder curtir o maravilhoso pôr-do-sol no Parque e início da atividade às 18h30 com término às 22h30. A caminhada é feita pela Trilha principal dos Arenitos, sob a luz da lua e das estrelas e com parada para contemplação na Taça, e observação do céu com telescópio no Centro de Visitantes, tudo com orientação de um especialista em Astronomia.

“A Caminhada Noturna é um sucesso de visitação no parque e agora está de volta. Recebemos inúmeros pedidos ao longo do último ano e nos preparamos para este retorno. Quem participa da Caminhada Noturna conhece um outro Parque Vila Velha, pois é uma experiência completamente nova caminhar pelos Arenitos sob a luz do luar”, afirma Leandro Ribas, gestor da Soul Vila Velha, concessionária do parque.

Matheus Frare, especialista em Astronomia e monitor que guia todo o passeio, dá uma prévia para o visitante do que ele irá encontrar.  “Os visitantes poderão ver os planetas do sistema solar e os incríveis anéis de Saturno, descobrir berçários de estrelas das mais variadas formas, ou aglomerados com até dez milhões de sóis, e aprender a identificar as constelações que há tanto tempo figuram na história e mitologias humanas. Também é possível observar a superfície da Lua em esplêndido detalhe e, com sorte, algum meteoro brilhante a cruzar o céu”, conclui Frare.

Nos sábados de Caminhada Noturna, o restaurante do parque ficará aberto para que os visitantes possam se abastecer antes do passeio, já que não é permitido o consumo de bebidas e alimentos durante a caminhada. O parque também possui estacionamento para os visitantes aproveitarem o passeio com foco total nas estrelas. O valor do período para veículos de passeio é de R$12,00, para vans e microônibus, R$18,00, e ônibus, R$24,00.

Os ingressos serão vendidos exclusivamente pelo site (tickets.parquevilavelha.com.br) até se esgotarem e tem o custo de R$ 88,00 por pessoa. Ao adquirir a experiência, o participante deve entrar em contato com o Parque até às 14 horas do dia do passeio para confirmar a realização pelo telefone (42) 3122-4488, pois dependendo das condições climáticas, o evento poderá ser cancelado. Nessa situação, ocorrerá a remarcação do passeio. No caso de desistência ou indisponibilidade do visitante não será permitido reembolso ou reagendamento.  Caso o tempo esteja totalmente encoberto e impossibilite a visualização do céu pelo telescópio, as informações sobre os astros serão repassadas através de projeção no Centro de Visitantes.

Sobre a Soul Vila Velha

Empresa do grupo Soul Parques, é a concessionária do Parque Vila Velha, uma concessão de 30 anos do Governo do Estado, por meio do Instituto Água e Terra. O Parque Vila Velha é uma das mais importantes unidades de conservação do Brasil e o primeiro parque estadual do Paraná, com mais de 38 km2 de biodiversidade. É um dos pontos turísticos mais visitados do Paraná. Tem como principais atrações os Arenitos, Furnas, Lagoa Dourada, Restaurante Girassol, Balonismo, Arvorismo, Tirolesa e CicloTurismo.

@parquevilavelha

Sobre Soul Parques

Soul Parques é uma holding 100% brasileira que existe para transformar espaços públicos e privados em lugares únicos, com o objetivo de promover experiências inesquecíveis aos visitantes. Formada pelos sócios fundadores do Grupo Cataratas – Dines, FSX Participações S.A, GS Participações Ltda, Pattac Participações S.A, Soifer Participações Societárias S.A, Tucumann Engenharia e Empreendimentos Ltda, pioneiros no Brasil em concessão de parques nacionais, a Soul Parques desenvolve e executa projetos de parceria público-privada e de terceirização de serviços para operações de turismo, lazer, entretenimento e cultura. A empresa realiza investimentos em infraestrutura qualificada e moderna e em atrações inovadoras e diferenciadas, sempre com elevado padrão de qualidade em serviços e no atendimento ao público.

@soulparques

 

FONTE: https://xvcuritiba.com.br/a-caminha-noturna-do-parque-vila-velha-esta-de-volta/


Parque Vila Velha libera a compra on-line de suas as atrações

Visitantes poderão participar da Tirolesa e do Arvorismo

A partir desta sexta-feira, o visitante do Parque Vila Velha poderá se antecipar e comprar de forma on-line ingressos para a Tirolesa e o Arvorismo, atrações de aventura do parque.

Agora, as duas opções de diversão estarão disponíveis para venda no site do parque – parquevilavelha.com.br - junto a entrada convencional e passeio de cicloturismo. O visitante que quiser aproveitar as duas atrações, pode adquirir o Combo Aventura com desconto!

Com esta novidade, os turistas terão ainda mais conforto e tempo para aproveitar as atrações que o parque oferece.

 

Tirolesa: 55 reais por pessoa.

Arvorismo: 35 reais por pessoa.

Combo Aventura: 78 reais por pessoa.

Sobre a Soul Vila Velha

Empresa do grupo Soul Parques, é a concessionária do Parque Vila Velha, uma concessão de 30 anos do Governo do Estado, por meio do Instituto Água e Terra. O Parque Vila Velha é uma das mais importantes unidades de conservação do Brasil e o primeiro parque estadual do Paraná, com mais de 38 km2 de biodiversidade. É um dos pontos turísticos mais visitados do Paraná. Tem como principais atrações os Arenitos, Furnas, Lagoa Dourada, Restaurante Girassol, Balonismo, Arvorismo, Tirolesa e CicloTurismo.

Sobre Soul Parques

Soul Parques é uma holding 100% brasileira que existe para transformar espaços públicos e privados em lugares únicos, com o objetivo de promover experiências inesquecíveis aos visitantes. Formada pelos sócios fundadores do Grupo Cataratas – Dines, FSX Participações S.A, GS Participações Ltda, Pattac Participações S.A, Soifer Participações Societárias S.A, Tucumann Engenharia e Empreendimentos Ltda, pioneiros no Brasil em concessão de parques nacionais, a Soul Parques desenvolve e executa projetos de parceria público-privada e de terceirização de serviços para operações de turismo, lazer, entretenimento e cultura. A empresa realiza investimentos em infraestrutura qualificada e moderna e em atrações inovadoras e diferenciadas, sempre com elevado padrão de qualidade em serviços e no atendimento ao público.

 

FONTE: https://www.jornale.com.br/post/parque-vila-velha-libera-a-compra-on-line-de-suas-as-atrações


Grupo Cataratas anuncia construção do AguaFoz - Investimento será de R$ 100 milhôes

Mundialmente conhecida como destino de milhares de visitantes nacionais e internacionais todos os anos, a cidade de Foz de Iguaçu ganhará um novo atrativo turístico à altura de sua importância: o AquaFoz. O Grupo Cataratas é a empresa que está por trás da empreitada e acumula, entre suas bem sucedidas realizações, o Aquário Marinho do Rio (AquaRio), o maior aquário marinho da América do Sul e um dos três mais importantes atrativos turísticos do Rio de Janeiro.

O AquaFoz será construído em uma área particular, na entrada do Parque Nacional do Iguaçu, ao lado do Centro de Visitantes, na BR-469, e receberá um aporte de cerca de R$ 100 milhões em investimentos de origem 100% privada. A obra deverá ser iniciada já no segundo semestre deste ano e tem previsão de conclusão em 24 meses. O projeto foi apresentado na manhã de hoje ao Governo do Estado e autoridades locais em audiência realizada no Palácio Iguaçu, sede do Governo do Paraná.

Em uma área de 23 mil metros quadrados, o AquaFoz contará com diversos tanques com espécies de água doce e de ecossistemas marinhos que somam um volume total de aproximadamente 3,5 milhões de litros de água. O novo aquário dará ao público a oportunidade de desfrutar de uma experiência imersiva, educativa e prazerosa pelos dois principais rios paranaenses, o rio Paraná e o rio Iguaçu, e ainda conhecer as espécies de peixes de água doce de diversos ecossistemas, formados ao longo desses rios.

O projeto do atrativo já nasce com a missão de ser um importante centro de conservação da biodiversidade, apoiado no tripé Educação, Pesquisa e Conservação e traz toda a expertise do AquaRio, contando com o suporte técnico dos biólogos marinhos Marcelo Szpilman, presidente de honra do AquaRio, e Rafael Franco, gerente técnico do atrativo, e com assessoria do Estúdio Cosestudi, escritório de arquitetura responsável pelos projetos, exposições e criação de conceito de importantes aquários no mundo, como: Oceanário de Lisboa (Portugal), Aquário de Genova (Itália), Aquário de Cingapura (Cingapura), Tennessee Aquarium e Aquário Baltimore (Estados Unidos).

Para Pablo Morbis, presidente do Grupo Cataratas, Foz do Iguaçu ganha mais um importante atrativo. “Além de sua importância como impulsionador do turismo, já nasce como um centro de conservação da biodiversidade local, promovendo estudos e pesquisas de espécies que só encontramos nas bacias hidrográficas da região, além de educar e conscientizar todos os visitantes sobre a necessidade da conservação do meio-ambiente.”

O governador Ratinho Junior destacou que o AquaFoz é parte de um novo ciclo de atrativos e investimentos na cidade. “Foz do Iguaçu está passando por uma grande revolução com a nova pista do aeroporto, a Ponte da Integração e a duplicação da Rodovia das Cataratas. Estamos criando condições para Foz crescer cada vez mais. O aquário é parte dessa aposta e da confiança do setor privado no Paraná”, afirmou.

O prefeito Chico Brasileiro acredita que o AquaFoz tem grande relevância, tanto para fortalecer o turismo na cidade como ser uma referência no país e internacionalmente. “Este novo investimento vai gerar novos empregos e renda para Foz do Iguaçu, o que é fundamental, especialmente neste momento de retomada da atividade turística e econômica. Além disso, é mais uma opção que os turistas e moradores terão para desfrutar como espaço de lazer e de conhecimento sobre a nossa biodiversidade”, afirmou.

Importante aliado da conservação

Nas últimas décadas, a bacia do Iguaçu tem sofrido impactos causados pela ação humana. Suas populações de fauna aquática e semiaquática correm o risco de extinção, e pelo menos quinze espécies de animais desta bacia se encontram impactadas pela ação humana como desmatamentos, poluição das águas, pesca e construção de barragens e represas. A atuação do AquaFoz, nesse sentido, reforça ainda mais a sua importância como um centro de conservação dos ecossistemas regionais.

Atuando como agente transformador local com impacto mundial, o AquaFoz conduzirá importantes pesquisas sobre ecologia alimentar e reprodutiva, distribuição geográfica, conservação e coibição de espécies exóticas. Estes projetos serão patrocinados e realizados pelo AquaFoz, em parceria com institutos de pesquisas, universidades brasileiras e internacionais.

O projeto também irá enriquecer a oferta turística em um dos mais importantes destinos do Brasil, que já tem uma relação singular no mundo com as águas – que formam o espetáculo das Cataratas do Iguaçu, geram energia na Usina de Itaipu e banham as margens das fronteiras do Brasil, Argentina e Paraguai.

FONTE: https://www.revistaeventos.com.br/Destino/Grupo-Cataratas-anuncia-construcao-do-AguaFoz---Investimento-sera-de-R$-100-milhoes/51029

Grupo Cataratas anuncia a construção do AquaFoz, o Aquário de Foz do Iguaçu

Com investimento de cerca de R$ 100 milhões, o aquário atuará como um centro de Educação, Pesquisa e Conservação dos ecossistemas das bacias dos rios Paraná e Iguaçu.

O AquaFoz, o Aquario de Foz do Iguaçu, irá enriquecer a oferta turística em um dos mais importantes destinos do Brasil, que já tem uma relação singular no mundo com as águas – que formam o espetáculo das Cataratas do Iguaçu, geram energia na Usina de Itaipu e banham as margens das fronteiras do Brasil, Argentina e Paraguai.

O AquaFoz será construído em uma área particular, na entrada do Parque Nacional do Iguaçu, ao lado do Centro de Visitantes, na BR-469, e receberá um aporte de cerca de R$ 100 milhões em investimentos de origem 100% privada. A obra deverá ser iniciada já no segundo semestre deste ano e tem previsão de conclusão em 24 meses. O projeto foi apresentado na manhã de hoje ao Governo do Estado e autoridades locais em audiência realizada no Palácio Iguaçu, sede do Governo do Paraná.

O projeto será comandado pelo Grupo Cataratas, empresa que nasceu em Foz do Iguaçu, e atualmente é a principal empresa de turismo sustentável do Brasil, com cerca de cinco milhões de visitantes anuais. Este será o terceiro empreendimento da companhia no Destino de Foz do Iguaçu.

 
FONTE: https://www.grupomundial.com.br/post/grupo-cataratas-anuncia-a-construção-do-aquafoz-o-aquário-de-foz-do-iguaçu

BioParque do Rio, antigo zoológico da Quinta da Boa Vista, abre ao público no dia 22 de março

O BioParque do Rio, antigo zoológico da Quinta da Boa Vista, na Zona Norte, já tem data marcada para voltar a receber o público: dia 22 de março.

Por causa da pandemia, o BioParque vai começar a funcionar com sua capacidade de público reduzida, com locais diferentes para a entrada e a saída do local.

Um posto de triagem será montado para aferição de temperatura corporal e higienização de mãos e calçados dos frequentadores. O uso da máscara será obrigatório durante a visita.

O novo projeto do zoológico incorpora o conceito de centro de conservação da biodiversidade, que alia bem-estar aos animais com educação ambiental e parcerias com estudos e pesquisas de universidades brasileiras e estrangeiras.

Esse novo conceito poderá beneficiar 47 espécies de animais ameaçadas de extinção. O espaço pretende acolher animais como onça pintada, lobo guará e anta.

Saem de cena as grades e as jaulas e aumenta o espaço dos bichos. No caso dos elefantes, por exemplo, o viveiro será dez vezes maior do que o original, com direito a piscina.

O BioParque do Rio vai funcionar diariamente, das 9h às 17h, com a última entrada no circuito de visitação às 16h.

O zoológico está fechado desde novembro de 2019. Nesse período ele passou por obras de remodelação com um investimento de R$ 80 milhões de uma empresa privada.

Programa de sócios

O espaço está lançando seu programa de sócio anual, no site (https://ingressos.bioparquedorio.com.br/#/home), que dá direito a visitar o parque de 19 a 21 de março, antes da abertura oficial ao público. Entre as vantagens de se tornar um associado também estão:

  • Acesso ilimitado ao parque durante o ano todo
  • Acesso ao circuito de visitação 30 minutos antes do público
  • Catraca express
  • Desconto de 10% na loja, lanchonetes e restaurantes do BioParque
  • Acesso a atividades educativas
  • Ajuda a financiar o programa de pesquisa e conservação de mais de 30 espécies ameaçadas.

 

O programa de sócios individual custa R$ 80. O titular pode incluir até sete dependentes por mais R$ 60, cada um. O valor pode ser parcelado em até 12 vezes sem juros.

FONTE: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2021/02/18/bioparque-do-rio-antigo-zoologico-da-quinta-da-boa-vista-abre-ao-publico-no-dia-22-de-marco.ghtml


Bahia vai ganhar condomínio logístico com investimento de R$ 300 milhões

A construção do Ecopark Bahia, no Polo Industrial de Camaçari, foi anunciada nesta quarta-feira (25) pelo grupo paranaense Essex durante encontro na Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE). A projeção é que na fase de implantação sejam gerados dois mil empregos.

O grupo Essex investirá R$ 300 milhões no Ecopark Bahia, no Polo Industrial de Camaçari. Com investimento de R$ 300 milhões, o empreendimento terá área construída de 201 mil metros quadrados, na Via Parafuso, num terreno de 463,5 mil metros quadrados. O anúncio foi feito pelo grupo nesta quarta-feira (25), no auditório da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE).

Estiveram presentes no encontro o secretário estadual, James Correia, o presidente da Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Sudic), Jairo Vaz, e o diretor da Essex, Luiz Renato Debes. Também compareceram dirigentes das empresas associadas ao empreendimento – HSI, Tucumann, ETT e a norte-americana CBRE.

A apresentação do Ecopark na Bahia ocorreu após o grupo paranaense lançar o empreendimento na Cidade Industrial de Curitiba, no Paraná. Com prazo de construção da primeira fase de 12 meses, o Ecopark será um dos mais avançados condomínios logísticos do Brasil, com a projeção de gerar na etapa de implantação dois mil empregos.

“Estamos presentes no Sudeste/Sul há 25 anos e vínhamos estudando o mercado do Nordeste há dez. É pela Bahia que vamos entrar nesse potencial mercado de crescimento. O agravamento da crise hídrica e energética em São Paulo nos faz lembrar que a Bahia tem água e energia em abundância, além de exponencial capacidade de crescer”, afirma o diretor da Essex.

Para ele, “não é à toa que grandes marcas, como a nossa conterrânea O Boticário, além da Ford, Kimberly-Clark e Basf, estão aqui [na Bahia]”. Segundo Luiz Renato Debes, mesmo assim, “o empreendimento vai usar muita iluminação natural e reutilizar a água”.

Galpões inteligentes

“O Ecopark será um condomínio industrial formado por galpões inteligentes e flexíveis, projetados para atender empresas de logística e indústrias leves”, explica James Correia. De acordo com ele “é o tipo de projeto que complementa os esforços de logística do Governo da Bahia, que foi responsável pela duplicação da Via Parafuso e de todo o complexo rodoviário que atende ao Polo de Camaçari.

O secretário de Desenvolvimento Econômico diz ainda que “estamos querendo adensar a nossa cadeia de autopeças, que irá servir à Ford, JAC e Fóton, e o empreendimento se encaixa perfeitamente nessa estratégia”. O Ecopark Bahia será construído na principal rota de abastecimento das regiões Norte e Nordeste do país, entre os portos de Aratu e Salvador e a 20 quilômetros do aeroporto internacional da capital baiana.

A implantação do empreendimento terá seis fases. A primeira, com 45,4 mil metros quadrados e investimento de R$ 100 milhões, tem conclusão prevista para 2016. A estrutura prevê módulos a partir de 3.790 metros quadrados, com pé-direito livre de 12 metros, modulação de pilares na proporção 24 X 22 metros, nove docas elevadas com niveladoras e pisos em concreto nivelados a laser.

 

FONTE: http://www.bahia.ba.gov.br/2015/02/noticias/industria/bahia-vai-ganhar-condominio-logistico-com-investimento-de-r-300-milhoes/


Fundos viram sócios de empresas no Paraná

Na semana passada, o fundo de investimentos Advent anunciou que está investindo na empresa Cataratas do Iguaçu S.A., fundada no início dos anos 2000 por empresários paranaenses.

O Advent é um tipo de fundo conhecido como private equity, que investe em empresas de alto potencial para acelerar seu crescimento. Esses negócios têm ficado mais comuns no Paraná nos últimos anos e são uma alternativa para outras fontes de captação, como a bolsa de valores.

Veja os cinco últimos grandes contratos de investimento fechados no estado.

1. Cataratas

A Cataratas do Iguaçu S.A. foi a última empresa do Paraná a receber aporte de um fundo de private equity. Ela administra o Parque Nacional do Iguaçu, entre outros pontos turísticos, e recebeu na semana passada uma injeção de recursos da Advent International. O valor da transação não foi divulgado, mas os recursos devem ajudar a empresa a aumentar o número de atrações e áreas administradas.

2. TCP

O fundo Advent tem outro negócio no Paraná, o Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP). O investimento, que representa 50% de participação no negócio, foi feito em 2011. Na empreitada, o Advent é sócio dos grupos paranaenses Soifer, Tucumann e Pattac, que também têm participações na Cataratas do Iguaçu S.A. No TCP, o fundo deu fôlego para investimentos na expansão do cais de atracação e na capacidade de movimentação de cargas.

3. Morena Rosa

O fundo Tarpon comprou 60% de participação na confecção Morena Rosa em 2012 por R$ 240 milhões. Com isso, a empresa acelerou o projeto de crescimento, com objetivo de chegar a R$ 1 bilhão de faturamento até 2018, ante R$ 370 milhões em 2013. O Tarpon já tinha experiência no mundo da moda, com investimentos na Marisa, Hering e Arezzo.

4. Madero

No início deste ano, um fundo de investimentos português comprou uma participação de 19% na rede de casual dining Madero, que tem sede em Curitiba. Estima-se que a transação tenha sido de R$ 40 milhões. Com o negócio, a rede acelerou a abertura de novos restaurantes e deve chegar a 49 unidades até o fim do ano. Também deve começar neste ano a internacionalização da marca.

5. Atlantic

A empresa curitibana Atlantic Energias Renováveis recebeu um aporte do fundo de private equity Actis no ano passado. A transação de US$ 169 milhões envolveu uma participação de 60% na companhia, que é especializada na geração de energia renovável de pequenas centrais elétricas e parques eólicos. Com o negócio, a meta da Atlantic é chegar a mais de 600 MW de capacidade instalada até 2018.

Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/economia/fundos-viram-socios-de-empresas-no-parana-ecxoponhjt3flitpwx9c1jexa/
Copyright © 2021, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.


ADVENT INTERNATIONAL TO INVEST IN CATARATAS DO IGUAÇU S.A.

Advent International, one of the largest and most experienced global investors dedicated solely to private equity, today announced that it has agreed to make a significant equity investment in Cataratas do Iguaçu S.A. Advent will work closely with the company’s current shareholders, all of whom will retain ownership in the business, to improve Cataratas’s services and operations and expand into additional parks and tourism-related businesses in Brazil. The investment, which is subject to certain closing conditions, is expected to be completed in the second half of 2014. Terms were not disclosed.

“Advent’s local presence and worldwide expertise in tourism-oriented retail, food and beverage, concessions and leisure businesses will enhance Cataratas’s ability to provide memorable experiences to the millions of people who visit the national parks where we have operations,” said Rafael Gluck, a member of Cataratas’s Board of Directors.

Cataratas provides ticketing services, transportation, parking facilities, retail stores, food and beverage and other services at Iguaçu National Park in the south of Brazil, featuring Iguaçu Falls, one of the world’s largest waterfalls; and the archipelago of Fernando de Noronha, a national park in the northeast of Brazil. Both parks have been designated UNESCO World Heritage sites. The company also holds equity interests in the Paineiras-Corcovado Concession in Rio de Janeiro’s Tijuca National Park, one of the world’s largest urban forests, featuring the famous Corcovado statue (“Christ the Redeemer”); and AquaRio S. A., a company contracted to service the planned aquarium in Rio’s retrofitted port area.

Cataratas’s growth strategy is focused on improving and increasing its services in the parks where it currently operates and expanding into additional parks and tourism-related businesses throughout Brazil. The company’s existing owners, who will remain shareholders in the business with Advent, include Brazilian firms Soifer, Tucumann, Pattac, Dines, Varese, Vercelli and FSX.

“We are excited to partner with Cataratas and its current owners to help improve the visiting experience at Brazil’s national parks, which include some of the most recognizable destinations in the world,” said Patrice Etlin, a Managing Partner at Advent International in São Paulo. “The Brazilian sustainability tourism industry continues to grow, and we are ready to apply our resources and expertise to assist the Cataratas team.”

Advent has been active in Latin America since 1996 and in Brazil since 1997. During that time, the firm has invested in over 50 Latin American companies, including 18 in Brazil. Its current Brazilian portfolio includes United Medical, Dudalina, Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), Quero-Quero and International Meal Company (IMC). Advent’s most recent realized investments in Brazil include Atmosfera, Kroton Educacional, Cetip and Paraná Banco. Advent also has experience in tourism-oriented retail, including previous investments in global travel retailer Dufry and Brasif Duty Free of Brazil, and park operations, including a prior investment in Parques Reunidos (Spain).

FONTE: https://lavca.org/2014/08/27/advent-international-to-invest-in-cataratas-do-iguacu-s-a/


Advent International anuncia investimento na Cataratas do Iguaçu S.A.

A Advent International, uma das maiores e mais experientes empresas de private equity do mundo, anuncia hoje a assinatura de um acordo para investir na Cataratas do Iguaçu S.A., líder na operação de concessões de serviços de bilheteria, transporte, alimentação e bebidas, varejo, entre outros, em parques nacionais brasileiros. Por meio do acordo, a Advent fará um aporte de capital na concessionária e trabalhará juntamente com os atuais acionistas – que permanecerão como sócios da empresa – para aprimorar os serviços e operações atuais da Cataratas e expandir sua atuação em parques e em negócios relacionados ao turismo. A expectativa é que a operação, cujo fechamento ainda está sujeito a determinadas condições precedentes, seja concluída no segundo semestre de 2014. Os termos do acordo não foram divulgados.

“A presença local da Advent, combinada com sua expertise mundial em concessões, varejo, alimentação e turismo, ajudarão a Cataratas a aprimorar sua oferta de serviços e a proporcionar experiências memoráveis para os milhões de visitantes dos parques onde temos operações”, afirma Rafael Gluck, membro do Conselho da empresa.

A Cataratas atualmente detém concessões para prestar serviços aos visitantes do Parque Nacional do Iguaçu (Patrimônio Mundial da Unesco, localizado na região sul do Brasil, que inclui as Cataratas do Iguaçu, uma das maiores e mais impressionantes quedas d’água do mundo); e do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, unidade de conservação localizada no Arquipélogo de Fernando de Noronha, também Patrimônio Mundial da Unesco. A empresa também tem participação acionária no consórcio Paineiras-Corcovado, que fica no Parque Nacional da Tijuca, uma das maiores florestas urbanas do mundo, onde está localizada a famosa estátua do Cristo Redentor; e no AquaRio S.A., empresa contratada para prestar serviços no aquário que está em construção na região do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

A estratégia de crescimento da companhia envolve a melhoria e expansão dos serviços dentro dos parques nos quais a empresa opera atualmente, assim como em outros parques e negócios relacionados ao turismo em todo o Brasil. Os atuais acionistas da Cataratas, que continuarão no negócio após a operação com a Advent, incluem as empresas brasileiras Soifer, Tucumann,  Pattac, Dines, Varese, Vercelli e FSX.

“Vamos trabalhar em parceria com a Cataratas e seus acionistas atuais para ajudar a melhorar a experiência dos visitantes dos Parques Nacionais brasileiros, entre eles alguns dos mais conhecidos destinos no mundo”, diz Patrice Etlin, Managing Partner da Advent em São Paulo. “A indústria do turismo sustentável no Brasil vem crescendo de forma contínua e estamos prontos para investir nossos recursos e expertise para apoiar o time da Cataratas”.

A Advent atua desde 1996 na América Latina e desde 1997 no Brasil. Durante esse período, a empresa investiu US$ 3,7 bilhões em 50 empresas, incluindo 18 no Brasil. Seu atual portfólio no país inclui a United Medical, a Dudalina, o Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), a Quero-Quero e a International Meal Company (IMC). Entre as empresas que receberam investimentos da Advent no Brasil ao longo dos últimos 17 anos estão Atmosfera, Kroton Educacional, Cetip, Paraná Banco, entre outras. A Advent também tem experiência mundial no varejo orientado ao turismo, incluindo investimentos anteriores na Dufry e Brasif Duty Free, bem como em operação de parques (Parques Reunidos, Espanha).

 

FONTE: https://www.adventinternational.com/br/7150/