A geração de empregos formais — aqueles com carteira assinada — tem colocado o município de Ribas do Rio Pardo em destaque em Mato Grosso do Sul. Pelo critério tradicional, que leva em conta a diferença entre o número de admitidos e o de desligados, o município está em 5º lugar, atrás de Campo Grande, Dourados, Três Lagoas em Corumbá, mas já ultrapassou Ponta Porã.

Uma análise com os números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho) com outros fatores que compõem esse conjunto de informações, coloca Ribas do Rio Pardo em primeiro lugar. Isso porque o município tem a maior Variação Relativa (VR) do Estado, com 25,29%. A VR toma como referência o estoque de empregos do mês atual e compara com o mesmo mês do ano anterior. Como a análise foi feita em cima dos doze meses de 2021 e 2020, Ribas do Rio Pardo tem estoque, que, neste caso, é a quantidade de vínculos celetistas ativos, ou seja, outros trabalhadores que já estão com a carteira de trabalho assinada, levando-se em consideração o tamanho da população.

Em uma análise quantitativa, os dez maiores municípios de Mato Grosso do Sul em termos de geração de empregos pelo saldo acumulado — diferença entre contratações e demissões — de 2021 são: Campo Grande, com 13.369 empregos formais, seguido por Dourados (4.038), Três Lagoas (2.590), Corumbá (1.767), Ribas do Rio Pardo (1.215), Ponta Porã (1.189), Aparecida do Taboado (902), Maracaju (754), Rio Brilhante (638) e Naviraí (631).

Partindo para a Variação Relativa, o estoque de empregos com carteira assinada e o tamanho da população atual, o ranking de Mato Grosso do Sul muda completamente. Neste caso, Ribas do Rio Pardo aparece em primeiro lugar com uma VR de 25,29% e um estoque de empregos celetistas de 6.019, seguido por Selvíria (18,76% e 1.779); Terenos (17,64% e 3.121); Tacuru (14,31% e 607); Antônio João (13,92% e 761); Bodoquena (13,39% e 991); Taquarussu (13,28% e 290); Água Clara (13,08% e 5.127); Aparecida do Taboado (12,97% e 7.856) e Douradinha (12,53% e 458).

A celulose que vem transformando Ribas do Rio Pardo

O prefeito de Ribas do Rio Pardo, João Alfredo Danieze, destacou que esses números vêm da instalação de uma fábrica de celulose. O investimento é da Suzano, por meio do Projeto Cerrado, que vai exigir uma soma de recursos na ordem de R$ 14,7 bilhões. “É um projeto de grande magnitude que se iniciou em maio de 2021. Hoje, são 2.500 trabalhadores na construção da fábrica. Em julho serão 5 mil. Há dois canteiros de obras: uma na fábrica e outro na cidade. Em fevereiro de 2023, serão 10 mil trabalhadores. Nos próximos cinco anos, a cidade vai precisar de 5 mil trabalhadores na construção civil e em 2026 Ribas do Rio Pardo terá 12 mil novos habitantes”, detalhou o prefeito João Alfredo Danieze, que reconheceu a falta de mão de obra qualificada e que o município vive um problema de especulação imobiliária.

FONTE: https://midiamax.uol.com.br/cotidiano/economia/2022/ribas-do-rio-pardo-e-o-municipio-campeao-na-geracao-de-empregos-em-ms